Saiba porque a cegueira animal é tão comum


doenças oculares em cães e gatos
Doenças oculares em cães e gatos | Foto: Divulgação

Especialista dá dicas de como prevenir as doenças oculares em cães e gatos

Muitas pessoas não sabem, mas as doenças oftalmológicas em animais de estimação podem ser mais comuns do que se pensa. Esbarrar em móveis, dificuldades para localizar brinquedos e alimentos, farejar até chegar ao tutor quando é chamado, podem ser sinais de que o animal não está enxergando bem. Segundo o médico especialista em oftalmologia veterinária, Anderson Gouveia, a cegueira, principalmente, em cães é algo comum e pode ocorrer ao longo da vida do animal.

Como identificar

Dificilmente a cegueira nos animais acontece de forma repentina. “O mais comum é que venha acometer o bichinho gradualmente, quando ele passa a apresentar sinais clínicos. Perceber problemas oculares em animais de companhia não é uma das tarefas mais fáceis, por isso é necessário ficar atento”, alerta o especialista.

Além disso, andar encostado nas paredes, piscar muito os olhos, ter coceira, manchas ao redor dos olhos, vermelhidão e sensibilidade à luz são alguns dos indícios que seu pet possa estar com algum problema de visão. “O comportamento do animal também pode ser alterado devido as doenças oculares. O pet pode ficar mais agressivo e pouco ativo”, explica Anderson.

O Médico Veterinário destaca ainda que dentre os principais males das doenças estão a catarata, os glaucomas, as inflamações palpebrais, a síndrome do olho seco e doenças de acometimento sistêmico como, diabetes, hipertensão arterial e até mesmo doenças transmitidas por parasitas. Algumas têm prevenção ou cura, outras podem levar seu animal à cegueira e precisam de tratamento. O importante é levar o seu bichinho para avaliação com um especialista pois alguns exames com equipamentos específicos podem prevenir casos de perda parcial ou cegueira.

Todas as raças de cães e gatos podem apresentar problemas nos olhos, até mesmo os saudáveis “vira-latas”, mas algumas raças são mais predispostas como os sharpeis, bulldogs, chowchows, pastor alemão, shihtzu, lhasaapso, pequinês e o gato persa.

Cuidados

Os cuidados com essa área sensível são essenciais para prevenir doenças. É aconselhável, em alguns casos, limpar todos os dias a região ao redor dos olhos com uma gaze e, sob prescrição médica, o uso de alguns colírios. “Prender os pelos mais longos no topo da cabeça do seu cão com um elástico para que eles não atrapalhem a higienização completa, é fundamental. Cuidados na hora do banho também são importantes, o shampoo usado para a cabeça não pode causar irritações e vermelhidão e em alguns casos o uso de colírios específicos para proteção”, destaca Anderson.

Conheça os sinais das doenças que podem acometer nossos pets

Ceratoconjuntivite Seca – Acomete cães de diversas raças e o animal apresenta um quadro de secreção ocular, opacidade e dificuldade para enxergar. Se não tratado pode levar à cegueira. As raças acometidas são: shih tzu, lhasa lapso, cocker spaniel, buldogue inglês, pug, yorkshire.

Catarata – A catarata merece atenção especial, pois é o principal motivo de cegueira reversível nos animais. As origens são variadas e podem ser genéticas, secundária ao diabetes, hereditária ou congênita. Essa doença forma uma opacidade no centro do olho do bichinho, bloqueando a visão. Se o seu pet for diagnosticado com essa doença, ele vai precisar passar por uma cirurgia para colocar uma lente que substitui o tecido natural dos olhos. Raças com maior risco: poodle toy, cocker spaniel inglês, schnauzer miniatura, yorkshire terrier, lhasa apso e os shih tzus.

Glaucomas – A doença é grave e pode deixar seu bichinho cego, caso ele não receba os devidos cuidados. O glaucoma acontece quando há um aumento da pressão dentro os olhos, afetando o nervo óptico e a retina do animal, principalmente nos mais velhos. Geralmente, os tutores só percebem o problema quando o pet vai ficando com os olhos turvos e esbranquiçados, além da dificuldade para enxergar. Quando descoberto no início pode ser revertido com uma drenagem. Raças com maior risco: cocker, sharpei, basset, basset hound, beagle, samoieda e husky, por uma questão genética.

É importante lembrar que visitas regulares ao veterinário especializado para fazer um check-up têm papel fundamental na identificação de possíveis doenças ainda em estágio inicial.Grande parte dos animais que chegam cegos aos oftalmologistas apresentam alterações que poderiam ter sido evitadas se diagnosticadas precocemente.

Doenças oculares em cães e gatos
Doenças oculares em cães e gatos | Foto: Divulgação
Anterior MIAUdota dia 25/5 no Cobogó Mercado de Objetos
Próximo Especialista fala dos mitos e verdades da castração